29 de outubro de 2015

Programação Novembro Sesc Mato Grosso



A versão impressa da programação de novembro do Sesc Mato Grosso estará disponível em todas as unidades a patir da semana que vem.
Mas já é possível acessar a versão digital em PDF pelo link

28 de outubro de 2015

DIA INTERNACIONAL DA ANIMAÇÃO CHEGA A 250 CIDADES DO PAÍS

Curtas de animação serão apresentados hoje à noite (28) no Sesc Arsenal

O Dia Internacional da Animação (DIA), maior evento de cinema simultâneo do Brasil, chega a sua 12ª edição em mais de 200 cidades no Brasil e 40 países participantes. Ocorrido anualmente em 28 de outubro, a data é celebrada com uma sessão de curtas-metragens de desenhos animados nacionais e internacionais. Entre os países que também participam simultaneamente, estão França, Portugal, Índia, Polônia, Rússia, Hungria, Israel, Egito, Suécia, Canadá e EUA.
O DIA tem objetivo de difundir o cinema de animação nacional em todas as regiões do país, proporcionar o contato do público com o trabalho de diretores brasileiros, estimular debates, revelar talentos, despertar o interesse do público e propiciar o intercâmbio entre filmes paulistas, nacionais e estrangeiros, fortalecendo os laços com os países integrantes da Associação Internacional do Filme de Animação (ASIFA) e divulgar os filmes nacionais no exterior. O evento também gera a integração cultural em todas as regiões do país, mobilizando diversas comunidades e facilitando a inclusão e o acesso da população à cultura. “Uma das grandes forças do Dia Internacional da Animação é a exibição de filmes não só nos grandes centros, como em muitas cidades do interior do Brasil, fazendo parte do calendário cultural de vários municípios que não tem salas de cinema”, ressalta Fabiano Florez, produtor nacional do evento.
Gratuito e aberto ao público, o evento tem realização nacional da Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), o apoio nacional da Endutex e no estado de São Paulo no estado é patrocinado pela Zilor Energia e Alimentos e apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC). Neste ano, foram inscritos 180 curtas-metragens de animação de todo o país, sendo cinco selecionados para a Mostra Nacional e dez para compor a Mostra Infantil. Completando a Mostra Nacional e com o objetivo de resgatar a história do cinema de animação nacional, a coordenação de júri resgatou o filme “O Átomo Brincalhão”, de 1964, produzido pelo diretor Roberto Miller, que abrirá o programa brasileiro. Devido ao grande número de filmes e da excelência dos títulos, o júri também propôs uma sessão extra de filmes brasileiros, chamada “Mostra Olhar Brasil de Animação”. Desta forma, o DIA traz um panorama da animação brasileira, apresentando curtas de todos os cantos do país e com diferentes técnicas de animação pautado da diversidade de técnicas e linguagens. Entre as técnicas utilizadas pelos produtores, estão desenho sob película, 2D, 3D, Stop Motion, animação com objetos, Pixelation e desenho sobre papel.
Além dos objetivos de difusão da produção nacional do cinema de animação e formação de público, o projeto chama atenção pela rede formada por coordenadores locais voluntários, responsáveis pela inscrição de seus municípios. A lista completa de dos locais participantes pode ser conferida no site www.adca.org.br/dia.

SOBRE O DIA
Em 28 de outubro de 1892, o francês Emile Reynaud realizou a primeira projeção pública de imagens animadas do mundo do seu teatro óptico no Museu Grevin, em Paris, exibindo o filme Pauvre Pierrot. Para celebrar a data, em 2002, a ASIFA (Associação Internacional do Filme de Animação) lançou o “Dia Internacional da Animação” contando com diferentes grupos internacionais filiados em mais de 30 países.


O quê: Mostra do Dia Internacional da Animação
Quando: 28/10
Horário: 19h30
Local: Cinema do Sesc Arsenal
Entrada Gratuita

2 de outubro de 2015

Exposição mostra mistérios e beleza do rio Juruena

Nos meses de outubro e novembro, quem visitar o Sesc Casa do Artesão, em Cuiabá, poderá conferir a exposição “Nas Águas do Juruena”, que reúne fotografias do jornalista Thiago Foresti. O registro foi realizado em 2013, ao longo de vinte dias acompanhando uma expedição a remo pelo rio Juruena, nas fronteiras dos estados de Mato Grosso, Pará e Amazonas.

A bacia do rio Juruena abriga uma grande biodiversidade, onde vivem povos ribeirinhos e diversas populações indígenas. Essa região já foi explorada por diversos estrangeiros, entre eles os da Expedição Langsdorff no século XIX, que legou uma variedade de material acerca do Juruena, como mapas cartográficos e aquarelas dos povos indígenas feitas, por exemplo, pelo artista francês Hercule Florence.

A área faz parte do Mosaico de Conservação da Amazônia Meridional, um conglomerado de 40 unidades de conservação. Entre essas unidades de conservação está o Parque Nacional do Juruena, criado em 2006, onde só é possível a entrada de pesquisadores e cientistas com autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio.

Apesar de tudo isso, duas cachoeiras, Salto Augusto e São Simão, são potenciais geradoras de energia, onde se pretende construir hidrelétricas e, assim, ameaçar parte da integridade cênica e cultural dessa localidade.

A exposição é uma oportunidade de mostrar um pouco mais sobre as paisagens do Parque Nacional e demonstrar o impacto que as hidrelétricas podem ocasionar na região e mudar drasticamente essa paisagem.

“São nessas paragens que há muita vida e mistério! Ao longo do Juruena nasceram homens, mulheres e crianças que nunca visitaram outros lugares, como Severino Coelho que até hoje só bebeu das águas do Juruena, ou a comunidade de Barra de São Manoel que possuem raízes ancestrais naquela localidade”, comenta o jornalista Thiago Foresti. “Construir um empreendimento dessa magnitude não só alterará o ciclo hidrológico de um rio, mas mexerá com a o ciclo de vida e de história de muita gente”, complementa.

Sobre o rio Juruena

O rio Juruena possui 1.240 km de extensão e atravessa o estado de Mato Grosso até a sua divisa com o Amazonas, onde na fronteira com o Pará encontra com o rio Teles Pires e, juntos, formam o rio Tapajós. A região cortada pelo Juruena é marcada por uma beleza natural fantástica, além das suas águas rápidas e profundas, que constituem um verdadeiro labirinto, há também quedas d’águas que formam uma paisagem exuberante, como o Salto Augusto e São Simão.

Às suas margens encontram-se as terras indígenas dos Apiaká, Munduruku, Kayabi e Rikbaktsa, grupos que habitaram primeiramente essas áreas, e, atualmente, estão ameaçados pelo desmatamento predatório e expansão das termelétricas.

Serviço:
Exposição Nas Águas do Juruena
De 07 de Outubro a 28 de Novembro

Sesc Casa do Artesão
Rua 13 de Junho, 315 – Porto –Cuiabá – MT
Tel. 65 3611-0550
Horário de Funcionamento:
Segunda a Sexta: 8h30 às 17h30
Sábado: 08h30 às 13h30