30 de outubro de 2014

CURSO DE ESCRITA LITERÁRIA

Nos dias 08 e 09 de Novembro o Sesc Arsenal traz o curso Escrita Criativa: Literatura e Outras Linguagens, Com Carlos Henrique Schroeder.


A proposta do curso, que é gratuito, é ser um laboratório de autoria diferente, que dialoga com os quadrinhos, as artes visuais, a fotografia, teatro, dança e o cinema. A partir da discussão desses temas, de textos literários elaborados pelos participantes e exercícios para o aprimoramento de técnicas estilísticas, espera-se desbloquear as dificuldades de expressão dos participantes, permitindo um maior apuro na escrita
Carlos Henrique Schroeder é autor dos romances “Ensaio do vazio” (7Letras), adaptado para os quadrinhos, e “A rosa verde” (Editora da Ufsc), adaptado para o teatro, e do recém-lançado “As fantasias eletivas” (Record), dentre outros. Sua coletânea de contos “As certezas e as palavras” venceu o Prêmio Clarice Lispector 2010, da Fundação Biblioteca Nacional. Tem contos traduzidos para o alemão, espanhol e islandês. Coordena a e-coleção Formas breves, o Festival Nacional do Conto e é editor da Revista Pessoa – Revista de Literatura Lusófona.

08 e 09/11 das 9h às 21h
Laboratório da Palavra - Gratuito
Informações: (65) 3616-6922

13 de outubro de 2014

Polêmico, “Azul é a Cor Mais Quente” é exibido no Cine Sesc

Ao cruzar na rua com Emma, bela moça de cabelos azuis, a adolescente Adèle irá se deparar com desejos novos que farão sua vida mudar radicalmente. Esse é o mote de “Azul é a cor mais quente” (La Vie d'Adèle, 2013, 180 minutos), de Abdellatif Kechiche, atração dessa terça-feira, 14 de outubro, às 19:00, no Cine Sesc Arsenal. Classificação indicativa: 18 anos.

O filme integra programação do oitavo ano de exibições do “Imagens em Pauta”, projeto realizado pelo Sesc Mato Grosso em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência, Cineclube Coxiponés e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Cada sessão é iniciada com informações sobre o filme programado. Após exibição, os participantes conversam sobre o filme e depois são convidados a tomar um gostoso cappuccino oferecido pelo Sesc Mato Grosso.

Em outubro o “Imagens em Pauta” exibe três filmes recentes reunidos sob a temática “Paixões e Intensidades”. Neles, conheceremos personagens que, ao se apaixonar, deparam-se com intensidades ainda não experimentadas. Entre a adolescência, juventude e idade adulta, essas paixões revelam maneiras de amar e impulsionam tais personagens a lidar consigo próprios e com o outro, a superar adversidades e amadurecer.

Sobre o filme
“Azul é a cor mais quente” mostra o cotidiano de Adèle (Adèle Exarchopoulos), adolescente francesa que cursa o ensino médio e que, como é próprio à idade, começa a descobrir e vivenciar sua sexualidade. Depois de um rápido envolvimento com um estudante mais velho, Adèle cruza na rua, por acaso, com Emma (Léa Seydux), uma jovem artista plástica que é assumidamente gay. Irresistivelmente atraída por Emma, Adèle fará o possível para estar cada vez mais perto da moça de cabelos azuis. Parte da trama de "Azul" é baseada na história em quadrinhos homônima de Julie Maroh, embora também tenha como inspiração o livro "A Vida de Marianne", de Pierre de Marivaux.

“O que há de fascinante neste Azul-Kechiche é a veemência com que o autor, mais uma vez, afirma sua modéstia diante de suas personagens, como lhes permite, e ao mundo que habitam, se manifestarem na tela e irradiarem no espírito dos espectadores. "Azul..." é o filme que mais se destaca neste ano tão fraco, de 2013. Mesmo que fosse um ano forte, seria, ainda assim, um filme especial: desses cujas imagens, aparentemente tão simples, chegam a nossos olhos, encantam, não se deixam esquecer” (Inácio Araújo. Folha de São Paulo, 06/12/2013).

Colecionando polêmicas antes mesmo de ser lançado, “Azul” foi o filme-sensação no Festival de Cannes de 2013, tendo recebido o Prêmio Fipresci (concedido pela crítica internacional) e a Palma de Ouro, que pela primeira vez na história do festival, foi concedido não apenas ao cineasta Abdellatif Kechiche, mas também às protagonistas do filme, Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux.

Sobre a Palma de Ouro para ‘Azul’, Gilles Jacob, presidente do Festival de Cannes, comentou: "O júri desejava entregar o prêmio de interpretação ex æquo [igualmente] para Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux, além da Palma de Ouro para o filme. O regimento não permite. O júri então decidiu associar oficialmente as duas atrizes à Palma".  Durante a premiação a única Palma de Ouro disponível foi entregue ao diretor do longa. As atrizes receberam o troféu em cerimônia informal realizada em 4 de fevereiro de 2014.

Abdellatif Kechiche nasceu em 07 de dezembro de 1960, em Tunis, na Tunísia. É também ator e roteirista. Fez sua estréia como diretor em 2000 com “A culpa é de Voltaire”. Em 2012, o “Imagens em Pauta” exibiu “À Esquiva”, filme de Kechiche realizado em 2004 e premiado com o César de melhor filme.

Próximo filme: “Tatuagem”
Na terça-feira, 21 de outubro,o “Imagens em Pauta” encerra o Ciclo “Paixões e Intensidades”, com a exibição “Tatuagem” (Brasil, 2013), de Hilton Lacerda.

Serviço
O quê: Azul é a Cor Mais Quente
Direção: Abdellatif Kechiche
Quando: Terça-feira, 14 de outubro, às 19:00
Onde: Cinema Sesc Arsenal
Classificação indicativa: 18 anos
Entrada Gratuita

6 de outubro de 2014

“Paixões e Intensidades” no Imagens em Pauta

 “Adeus, Primeiro Amor” narra amadurecimento sentimental de jovem francesa

Assessoria - Aos quinze anos, Camille descobre o amor com Sullivan. Ele parte em uma viagem e ela fica desolada. Quando Camille supera a ausência do primeiro namorado e se apaixona por outra pessoa, Sullivan reaparece. Este é o mote de “Adeus, Primeiro Amor” (Un amour de jeunesse, 2011, 110 minutos), de Mia Hansen-Løve, atração dessa terça-feira, 07 de outubro, às 19:00, no Cine Sesc Arsenal. Classificação indicativa: 14 anos.          

O filme integra programação do oitavo ano de exibições do “Imagens em Pauta”, projeto realizado pelo Sesc Mato Grosso em parceria com a Pró-reitoria de Cultura, Extensão & Vivência, Cineclube Coxiponés e Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso. Cada sessão é iniciada com informações sobre o filme programado. Após exibição, os participantes conversam sobre o filme e depois são convidados a tomar um gostoso cappuccino oferecido pelo Sesc Mato Grosso.

Em outubro o “Imagens em Pauta” exibe três filmes recentes reunidos sob a temática “Paixões e Intensidades”. Neles, conheceremos personagens que, ao se apaixonar, deparam-se com intensidades ainda não experimentadas. Entre a adolescência, juventude e idade adulta, essas paixões revelam maneiras de amar e impulsionam tais personagens a lidar consigo próprios e com o outro, a superar adversidades e amadurecer.

Sobre o filme
Aos quinze anos, Camille (Lola Créton) descobre o amor com Sullivan (Sebastian Urzendowsky). Sentindo-se um estranho em Paris, Sulivan resolve fazer uma viagem pela América do Sul, deixando a namorada para trás. Para Camille, não ter o garoto que ama ao lado é uma grande tragédia e ela sobrevive por meio das cartas que recebe. Até que ele para de escrever. Lentamente, Camille aprende a dar continuidade à sua vida e se apaixona novamente. Mas Sullivan reaparece.

“É esse jogo de sutilezas que Mia Hansen-Love desenvolve: algo não distante do que de melhor o cinema francês tem criado; situações pelas quais qualquer um pode passar (ou passou), tão triviais às vezes que o autor do filme pode parecer num primeiro momento alguém simplório. Não é bem isso. Esse tipo de cineasta é o que cerca a vida a partir de um aspecto mais realista. Sua desenvoltura se encontra na capacidade de buscar, no banal, algo de precioso, porque comum a muitas existências.” (Inácio Araújo. Folha de São Paulo. 20/12/2011)

O filme é dirigido pela francesa Mia Hansen-Løve, que ingressou no cinema aos dezoito anos, quando o cineasta Olivier Assayas a escolheu para atuar em “Fin août, début septembre” (1998). A colaboração artística entre Hansen-Løve  e Assayas tornou-se uma união na vida real. Em 2001, Hansen-Love começou a estudar no Conservatório Municipal de Artes Dramáticas em Paris, mas desistiu e passsou a contribuir na famosa revista "Les Cahiers du Cinéma", onde Olivier Assayas também escreveu.

Também em 2001, ela tentou a sorte como diretora e, a partir do primeiro dia de filmagem, descobriu que era isso que queria fazer. O resultado foi o curta-metragem “Après reflexão mûre” (2004).  Desde então,  dirigiu três longas-metragens: “Tudo Perdoado” (2007), “O Pai das minhas filhas” (2009) e “Adeus, primeiro amor” (2011), todos aclamados pela crítica, tanto por seu estilo seguro quanto por sua mise-en-scène consistente.

Próximo filme: “Azul é a cor mais quente”
Na próxima semana, o “Imagens em Pauta” continua o Ciclo “Paixões e Intensidades”, com a exibição do premiado “Azul é a cor mais quente” (França, 2013), de Abdellatif Kechiche. Não perca! Se você deseja ser avisado sobre as exibições do projeto envie um email para imagensempauta@gmail.com com a informação “Cadastrar e-mail”. Para outras informações, siga o “Imagens em Pauta” no Twitter: @ImagensEmPauta.

Serviço
O quê: Adeus, primeiro amor
Direção: Mia Hansen-Løve
Quando: Terça-feira, 07 de outubro, às 19:00
Onde: Cine Sesc Arsenal
Classificação indicativa: 14 anos
Entrada Gratuita