21 de outubro de 2013

Música Divina Música


A jornalista Martha Baptista assistiu ao espetáculo da Mostra de Música no Sesc Arsenal, no dia 18 de outubro e se admirou tanto que escreveu um artigo em seu blog.

Veja abaixo um trecho. O texto completo está em: http://martha-caentrenos.blogspot.com.br/
Boa leitura

“Saí do trabalho e fui direto para o Sesc com o objetivo de assistir ao show de Itiberê Zwarg, contrabaixista do Hermeto Pascoal, arranjador, produtor musical e educador. Sabia que ouviria um som no mínimo instigante, diferente. E de graça.

Para minha surpresa, encontrei isso e muito, muito mais.

O show começou com uma apresentação do grupo da oficina de sopros de Víttor Santos, que formou uma big band em cinco dias de prática. Foi lindo! Eles tocaram várias composições do próprio Vittor Santos, que ainda nos brindou com uma aula sobre a evolução musical das big bands. Alguns músicos do grupo me eram familiares como o trompetista Tony Maia e o sax tenor Andrei, e fiquei muito feliz de saber que muitos deles fizeram parte do Instituto Ciranda - Música e Cidadania, aquele que não me canso de elogiar. O som foi maravilhoso, viajante, contagiante ...

Ah, eles ainda apresentaram um número com a cantora Muiza Adnet, irmã da Maucha, do Mário e tia do Marcelo, e contaram com a participação do baixista André Vasconcellos (que deu o curso de contrabaixo) e de um baterista cujo nome perdi.

Em seguida, começou a apresentação de Itiberê, ao piano, e de sua filha Mariana (flautas). Eles interpretaram vários temas conhecidos, mas de uma maneira tão única e especial, entre eles, "Na Baixa do Sapateiro", "Índia" (com o saxofonista Augusto, também oriundo do Ciranda), "Cantador" com Muiza e "Bebê" com André Vasconcellos e o baterista fantástico cujo nome não memorizei.

Nem sei o que destacar: a cumplicidade entre pai e filha? A forma maravilhosa como Itiberê - um músico que já percorreu o mundo inteiro - se referiu ao jovem e talentoso saxofonista Augusto? A beleza da interpretação de Muiza de uma música que adoro ("Cantador" - uma parceria de Dori Caymmi e Nélson Motta)? Ou a delícia de ouvir a releitura de "Bebê", composição de Hermeto Pascoal?


A essa altura do show, eu já estava totalmente feliz, mas houve mais uma surpresa: a apresentação dos alunos da Oficina de Prática de Conjunto, dirigida pelo próprio Itiberê. No palco, três jovens - uma delas Laura Pompeu, de apenas 15 anos -, dois violonistas (um deles, Joelson Conceição), dois percussionistas, um contrabaixista e um saxofonista. Sob a regência de um empolgadíssimo Itiberê, o grupo apresentou uma composição feita coletivamente durante a oficina ("Tô chapada").”

Nenhum comentário:

Postar um comentário