3 de julho de 2012

SESC AMAZÔNIA DAS ARTES começa hoje!





O projeto SESC Amazônia das Artes promove a circulação e o intercâmbio de espetáculos de dança e teatro, shows musicais e exposição de obras de arte dos estados que pertencem à Amazônia Legal.

O Projeto SESC Amazônia das Artes é pensado como um espaço, movimento onde se tem acesso facilitado ao conjunto do patrimônio cultural brasileiro, em sua diversidade de manifestações, como fonte primária de conhecimento e aprendizado, voltada para a prática da cidadania e para a preservação e sedimentação da autoestima, proporcionando, assim, o estabelecimento de um diálogo constante entre os responsáveis pela produção e pelo consumo de bens culturais.


PROGRAMAÇÃO

--------------------------------------------------------------------------------------------------
DANÇA


PIONICES
Grupo Espaço de dança do
Amazonas - Gedam (AM)

O espetáculo Pionices teve como fonte de inspiração o universo da construção civil e seu principal personagem: o trabalhador. A estética de um prédio em construção é bastante interessante – com suas escadas tipo “ladder”, seus grandes espaços vazios, andaimes, elevadores, texturas etc. Porém, neste estágio, o empreendimento não passa de uma estrutura sem vida. E quem dá vida à obra são justamente os trabalhadores. Os operários são indivíduos falantes e estão em constante comunicação, seja para contar piadas ou para um conversa a dois. Até por força do ofício, pois, nas obras, eles estão sempre aos pares, devido às regras de segurança. 
Existem vários tipos de trabalhadores: os comilões, os preguiçosos, os moços, os velhos, os indefectíveis paqueradores etc. Todos eles estão presentes no universo da construção civil. E é este universo que o grupo Gedam apresenta neste espetáculo.


Classificação etária: 14 anos
Duração: 50 minutos

Ficha técnica:
Texto/concepção: Conceição Souza
Pesquisa: Moandro Enéas
Coreografia: Adam Souza e Conceição Souza
Elenco: David de Oliveira, Huana Bezerra, Josinaldo Sampaio, Larissa Cavalcante, Rodrigo Colares, Rosi Rosa, Wasington Amorim

04/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca 



PLAGIUM?
Cia Dançurbana (MS)

Criado em 2009, o espetáculo Plagium?, questiona em cena a autoria em dança e quais as ferramentas usadas para que uma criação seja considerada autêntica.
Plagium se tornou uma resposta direta que questiona toda essa hipocrisia do que é ou não original, do que é ou não autêntico, sendo assim, o que caracteriza um espetáculo é o presencial, o ao vivo, os corpos, as perguntas, as questões, a cena, a luz e não meramente um texto ou nome desse produto de arte. Pois cada corpo carrega sua história e seu repertório criativo e quando apostamos nesses corpos como fontes criadoras resulta-se numa total singularidade dessa proposta.
Fazer arte onde a complexidade das coisas é devastadora é um desafio. Pois estamos o tempo todo plagiando sem saber. Daí a importância de embasamento investigativo – corpóreo e teórico.

Classificação etária: Livre
Duração: 40 minutos

*Ficha técnica
Texto/concepção: Marcos Mattos
Contribuições coreográficas: Reginaldo Borges, Adaílson Dagher e Rogger Castro.
Concepção e operação de luz: Carlos Fluhr
Elenco: Adaílson Dagher, Thiago Mendes, Roger Pacheco, Ariane Nogueira, Maura Menezes, Rose Mendonça, Tamires Jacinto, Rogger Castro, Reginaldo Borges, Marcos Mattos e Carlos Fluhr

07/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca 


EXPIAÇÃO
Com Pulsar Cia de Dança (MA)

Inspirado em bilhetes suicidas verídicos,  o espetáculo "EXPIAÇÃO" ultrapassa as fronteiras dos parônimos e do antagonismo, para mergulhar nos conflitos humanos.  Entre o fim e o início  muitas frases: preconceito e renuncia. Entre corpos e sentidos, turbilhões de sensações. Assim convive-se intimamente com uma exploração profunda e muito comovente  da vergonha, do perdão, da expiação e da dificuldade de absolvição. 
Sem poder remediar, resta-lhe a punição. Veste-se a idéia e coloca-se em prática. Alucina-se, se perdoa, no sacrifício diário da superação. A intenção é projetar o real além do que parece ser, produzindo uma síntese de como isto se apresenta e desenvolver estímulos vividos pelo “suicidado”. 
 Por quê deste ato extremo?
"EXPIAÇÃO" não procura uma única resposta, enfoca o suicídio como uma questão de múltiplos significados.
O suicídio é um gesto de comunicação que transcende o conteúdo de cada bilhete.
Nele, vida e morte se encontram, se complementam e se contradizem.
 “Chega de palavras, pois estas também iram se perder com o tempo”.

Classificação etária: 14 anos
Duração: 50 Minutos

Ficha técnica:
Direção Geral: Abelardo Teles
Direção Artística: Fran Mello e Abelardo Teles
Coreografia: Fran Mello
Assistente de Coreografia: Fabiana Nunes
Pesquisa Musical e Colagem: Fran Mello 
Bailarinos: Cléo Junior, Egnaldo Gomes, Fernando Saraiva, Fran Mello, Gabriela Dantas, Mike Santos, Milliane Moreira e Taila Menezes.
Luz: Eleomar Cardoso
Execução de luz: Milena Silva

08/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca 

-------------------------------------------------------------------------------------------------
MÚSICA



CENTRO METROPOLITANO
Com Léo Perotto e Grupo Palmas-Música (TO)

Centro Metropiltano, é um concerto de câmara baseado na obra musical homônima de Leonardo Luigi Perotto. Executado pelo Grupo Palmas Música, o concerto traz performances cênicas realizadas pelos próprios musicistas, e visa discutir a vida do homem nas cidades contemporâneas. A obra apresenta elementos de música tonal, atonal e minimalista, além de recorrer a diferentes formações musicais. Em relação direta com a música, a performance e a iluminjaão, criam imagens de grande potência visual.

05/07 - 20h30 - Teatro - Entrada Franca



LUÊ SOARES

Além de soltar a voz, Luê também toca rabeca, instrumento que a encanta desde menina. "Boa parte dar minha família é de Bragança [município da região nordeste do Pará]. Conheci a rabeca vendo os mestres da Marujada de São Benedito tocarem e achei lindo o som. A rabeca é ancestral ao violino, quem faz são artesãos, e têm uma tradição muito forte nesta região do Brasil" afirma a instrumentista.
Luê tem formação clássica em violino, pelo Conservatório Carlos Gomes (PA). Fez parte da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFPA (OSUFPA).
Denominado "Tu já Rainha", o show musical é um passeio pela música produzida no Pará. Carimbó, Zouk, Xote, entre outros, são apresentadas com arranjos modernos sem perder a essência da música de raiz, tão presentes na vida da cantora.  

07/07 - 20h30 - Teatro - Entrada Franca


SÃO BATUQUES

O Projeto musical “ São Batuques”, dos compositores Beto Oscar e Helder Brandão. Busca essencialmente exaltar a riqueza poética e melódica das manifestações folclóricas afro descendente do estado Amapá. Através de músicas compostas por estes autores, influenciados pelos ritmos e ritos tradicionais de nossas comunidades quilombolas. E por outras composições já editadas por compositores  conhecidos do cancioneiro popular amapaense, principalmente os cantadores de Batique e Marabaixo. Dando desse modo, mais um passo significativo na afirmação da música popular Amapaense.

10/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca


CORDA COM CORDA

“Corda com Corda” é uma seleção de músicas compostas por artistas da região norte (Eliakin Rufino, Zeca Preto, Sérgio Barros, Neuber Uchoa, Adelson Santos) e arranjadas  em formato instrumental. Além disso, a apresentação conta com três músicas autorais entre outras do repertório nacional e internacional(samba, baião, MPB e jazz), sempre intercalando tema e  improvisação.

Em sua formação inicial o grupo possuiu como integrantes: Pedro Linke (flauta e viola), Renato José (percussão), George Farias(violão e guitarra) e Dexter na percussão com o nome Rosa dos Ventos.
Posteriormente Valderi Aquino (contrabaixo), Antônio Lira (acordeom) e Alfredo Rolins (bateria), permanecendo Pedro Linke e Renato José. Participou do início da gravação do 2º CD o violonista Jefferson Moraes. Atualmente o grupo é formado por Pedro Linke (flauta e viola), Renato José (percussão) e Elson Arcos(violoncelo) e Rui Lavor nos teclados.

06/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca

--------------------------------------------------------------------------------------------------
TEATRO


O MENINO E O CÉU
Cia Teatro Faces (MT)

Com medo que seu único amigo, um jumento, morra de sede, o menino sai em uma grande jornada pelo sertão nordestino em busca de um passarinho que ensinará os dois a voar para que assim possam pedir às nuvens para voltar a chover e também chegar mais rápido ao Rio São Francisco. Nessa incrível jornada eles encontram um sapo que não consegue mais pular, um lagarto com mania de perseguição, um urubu carregado de maldade e duas asas brancas que vão fazê-lo acreditar que pra voar é preciso apenas um grande sonho.

Ficha Técnica:

Elenco: Yuri Lima Cabral, Kiko Sontak, Maria Edilene de Jesus, Victor Martins, Luiz Antônio Freitas, Wanderson Lana, Dionathan Felipe Silveira, Néia Lourenço e Leonardo Nardes
Texto e Direção – Wanderson Lana.
Direção de Sonoplastia – André Gadotti.
Sonoplastia – Rita de Cássia e Ana Paula Dorst.
Iluminação – Darci Junior
Figurino – Wanderson Lana.
Cenografia – Yuri Lima Cabral
Classificação etária: Livre


03/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca




O AUTO DA FOLIA DE REIS
Grupo Corpos Teatro Independente (PI)

O Auto da Folia de Reis" possui enfoques que serão trabalhados dentro de um clima festivo e de muita emoção. Serão traçados diversos planos ambientais no espetáculo, onde as personagens, aos poucos, desnudarão um verdadeiro leque de informações culturais bastante marcante.
A música é trabalhada a partir de melodias simples e bastante conhecidas da cultura popular do reisado do Piauí, acompanhada de arranjos instrumentais e vocais, valorizando assim as grandes possibilidades melódicas da musicalidade nordestina.

Ficha Técnica:
Elenco:  Laila Caddah, Avelar Amorim, Vitor Sampaio, Humberto Pequeno, Nayara Fabrícia, Silmara Silva,  Adalmir Miranda, Wânya Salles, Arnaldo Oliveira, Zaqueu Sousa.
Texto, Direção e Produção: Adalmir Miranda/PI
Arranjos musicais e Trabalho de voz:  Aurélio Melo/PI
Figurino: Adalmir Miranda
Costureiras: Solange Aragão e Selma Sampaio
Adereços: Wilson Costa/PI, Adalmir Miranda/PI
Coreografia: Sidh Ribeiro
Programação visual  e Cenário: Adalmir Miranda
Classificação etária: Livre 

05/07 - 19h - Jardim - Entrada Franca







O MENOR ESPETÁCULO DA 
TERRA 

Palhaços Trovadores (PA)


O espetáculo apresenta uma trupe de cinco palhaços abandonada pelo circo, que seguiu viagem para outras paragens. Sem patrão, os palhaços sentem-se perdidos, desolados na beira da estrada. Para onde seguir, o que fazer? Uma voz onipresente, espécie de superconsciência dos palhaços, fala com eles e com o público, expondo suas fraquezas e mazelas, mas também os estimula a montarem o circo de seus sonhos. Surgem então grandes atrações circenses, como a patinadora do gelo, o domador de leões, a contorcionista, o trapezista e o aramista, projeções dos palhaços abandonados.

Ficha Técnica:
Elenco: Alessandra Nogueira (Neguinha); Cleice Maciel (Pipita); Marcelo David (Feijão); Isac Oliveira (Xuxo); Marcelo Villela (Tchelo); Rosana Darwich (Bromélia)
Direção Geral: Anibal Pacha; 
Criação de Luz: Marcelo Villela; Cenografia: Anibal Pacha; 
Figurino, adereço e bonecos: Anibal Pacha; 
Confecção de figurino: Ray Tavares; 
Maquiagem: elenco
Vozes: Rosana Darwich, Sônia Alão e Marton Maués; 
Voz do narrador: Marton Maués
Consultoria técnica de Clown: Marton Maués
Iluminação: Jorge Torres; 
Classificação etária: Livre

11/07 - 20h - Teatro - Entrada Franca





A SERPENTE
OFIT (MS)


A história gira em torno de duas irmãs, Lígia e Guida. Em um mesmo apartamento presenteado pelo pai, elas vivem com seus maridos em quartos próximos. Tendo celebrado seu casamento no mesmo dia em que a irmã, Lígia vê sua relação com Décio desfazer-se logo na primeira cena da peça. Décio abandona a esposa sem nunca ter sido capaz de consumar o casamento. Virgem, Lígia entra em desespero e ameaça se jogar pela janela. É Guida, a irmã, quem evita o salto. Tragédia carioca - último texto do dramaturgo Nelson Rodrigues A peça reflete todas as dimensões míticas e psicológicas de todo o universo do autor.

Ficha Técnica:
Elenco: Aline Duenha, Luciana Kreutzer, Emmanuel Mayer, Bruno Moser, Natali Allas
Direção: Nill Amaral
Desenho de Luz: Gil Esper e Catarina Guerghi
Cenografia: Mayra Espíndola
Operadora de Luz: Catarina Guerch
Operadora de som: Mayra Espindola
Classificação etária: 14 anos. 

12/07 - 19h - Teatro - Entrada Franca











Nenhum comentário:

Postar um comentário