13 de junho de 2012

CELSO VIÁFORA (SP) se apresenta no SESC ARSENAL.




A proposta do INTERCÂMBIO MUSICAL SESC é promover, durante uma semana, a troca de informações entre um músico convidado e musicos locais (profissionais, diletantes e estudantes de musica). Essa ação do SESC promove uma retro alimentação da programação, pois proporciona integração dos músicos locais com músicos convidados, fomentando propostas em apresentação artística com um diferencial qualitativo, e além disso o contato com compositores altamente qualificados.

As oficinas já estão acontecendo, neste sábado acontece o Show de Encerramento do Curso com o próprio Celso Viáfora e convidados regionais. 

SHOW CELSO VIÁFORA
SESC Arsenal - 16/06 - 20h - Jardim - Entrada Franca






CELSO VIÁFORA

Ingressou no cenário artístico em 1979, participando de festivais e apresentando-se em teatros do Rio e S. Paulo. Nessa época, foi contemplado com o prêmio de Melhor Arranjo no Festival Internacional de Viña del Mar, no Chile, com a música "Grão da terra".  
Em 1986, gravou, com César Brunetti e Jean e Paulo Garfunkel, o LP "Trocando figura. 
Lançou, em 1991, o LP "Celso Viáfora", pela gravadora Outros Brasis. 
Em 1996, gravou o CD "Paixão Candeeira", pela Dabliu Discos, e relançou, agora em CD, o disco “Celso Viáfora”, pela mesma gravadora. 
Em 1999 lançou o CD "Cara do Brasil', pela gravadora RGE, contendo composições próprias, e parcerias com Guinga (no choro "Di menor") e com Vicente Barreto. Nesse mesmo ano, apresentou-se no Canecão (RJ) e na casa de shows Tom Brasil. (SP). Em 2000, seu disco "Cara do Brasil" foi relançado pela gravadora Jam Music. 
Ainda em 2000, iniciou uma parceria com Ivan Lins (que já produziu mais de meia centena de canções) cuja estréia em disco aconteceu no CD "A cor do pôr-do-sol", onde Ivan gravou quatro músicas da dupla: a faixa-título, "A cor do pôr-do-sol”; "Emoldurada"; ”Olimpo” e "Nada sem você", essa última assinada também pelo italiano Ivano Fossatti. 
Em 2001, lançou o CD "Basta Um Tambor Bater", com a participação especial de Ivan Lins e do grupo MPB-4, na faixa "Diplomação" (c/ Ivan Lins), e Beth Carvalho, na música "Chora". O disco teve espetáculo dirigido por Túlio Feliciano.
Gravou, em 2003, o CD "Palavra!", contendo composições suas e  parcerias com Ivan Lins e Vicente Barreto.
Fez show de lançamento do disco na casa Tom Brasil (SP) e apresentou-se por todo o Brasil, em espetáculo dirigido por Túlio Feliciano que contou com a participação do Barracão dos Sonhos, grupo formado por 10 crianças com idade entre 6 e 16 anos da comunidade de Paraisópolis (SP).
Em 2005, teve seu primeiro trabalho, “A Carreira de Celso Viáfora", lançado no Japão, pela Ward Records.
No final de 2005, lançou o CD "Nossas canções", só com músicas de sua parceria com Ivan Lins, no Japão, pela gravadora Columbia. No início de 2006 o disco chegou ao Brasil, pela gravadora JAM Music com distribuição da EMI Music.
Como compositor, tem músicas gravadas por Ney Matogrosso ("A cara do Brasil"), Nana Caymmi (“Só Prazer”), Jane Duboc ("De alma e corpo), Simone (“Atlântida” e “Veneziana”), Vânia Bastos ("Linda de lua"), Ivan Lins ("Papai Noel de camiseta" e “Deus de Deus”), Nílson Chaves ("Não vou sair", “Olhando Belém”, entre outras), Eduardo Gudin ("Minha cara no espelho"), Jane Monheit (“Rio de Maio”), Maria Scheneider (também  “Rio de Maio”), Fafá de Belém ("Cio baby doll"), entre muitos outros. 
Em 2010 lançou o seu primeiro DVD e sétimo CD, “Batuque de Tudo”, gravado no ESTÚDIO SOLLUA, todo ele situado dentro de uma fazenda, em Alambari-SP, onde recebeu parceiros de longa data (como Ivan Lins, Vicente Barreto, Nilson Chaves e o Quinteto em Branco e Preto) e novos (Rafael e Pedro Alterio, Caê Rolfsen, Dani Black, Tati Parra, Tó Brandileone e Pedro Viáfora), além de um time primoroso de músicos (Sizão Machado, no contrabaixo; Webster Santos, nas cordas; Trio Manari – de Belém do Pará – nas percussões; Vinícius Dorin e Léa Freire, nos sopros; Thiago Costa, nos teclados e no acordeon; Carlinhos Sete Cordas, no violão; Théo da Cuíca, na percussão; Thiago Rabelo (Big) e Gabriel Alterio, na bateria e Tati Parra e Tó Brandileone, nos vocais. A direção geral é de Tulio Feliciano. Direção de Vídeo da Gabo Nunes. Áudio do Alberto Ranellucci.




Nenhum comentário:

Postar um comentário