6 de dezembro de 2011

BEM VINDO O TEMPO PARA OUTROS TEMPOS...



Crônica de LUCINDA PERSONA publicada na edição nº 13177 de 04/12/2011 no JORNAL DIÁRIO DE CUIABÁ.

Um dos valores da Exposição reside em seu poder culturalmente estimulante, descortinando imagens, concepções e comportamentos...





Lucinda Persona*
Especial para o Diário de Cuiabá




Temos muito para ver, rever e sentir em dias como estes, perto do Natal, quando a realidade acolhe os brilhos da época, os corações se expandem de um modo diferente, a paisagem é tingida de emoções e certos pontos de convergência têm um rumor especial, um ruído de brinde, aglutinando pessoas como um cristal de açúcar aglutina formigas. 

Congregar pessoas e vê-las transcender é um dos resultados mais salutares para empreendimentos de socialização do conhecimento. Merece menção honrosa um dos pontos de convergência da temporada, a Exposição Tempo de Almanaque, no SESC Arsenal, aberta no dia 16 de novembro e seguindo por um mês, como um espaço de informação e comemoração histórico-cultural. 

É uma produção das mais significativas, sintetizada no Catálogo Tempo de Almanaque. – Rio de Janeiro: SESC, Departamento Nacional, 2011. 72 p. A engenhosidade já se nota no layout do título quando a palavra Alma vem separada do restante, sugerindo ser também um tempo para esse universo de estranhas forças e sentimentos que é a alma. 

Numa fina concepção e realização do SESC Nacional, a Exposição de Almanaques viabilizou-se a partir do acervo de Yasmin Nadaf, colecionadora de vários títulos, pesquisadora de escola, escritora, mestre e doutora em Literaturas de Língua Portuguesa, além de ser grande leitora desde muito cedo. Oportuno observar seu espírito sempre em conexões essenciais com o passado, o presente e o futuro. 

Um dos valores da Exposição reside em seu poder culturalmente estimulante, descortinando imagens, concepções e comportamentos de um determinado período brasileiro, quando alguns aspectos tecnológicos não se faziam presentes, quando era difícil a publicação e circulação da palavra escrita, se comparada a hoje com essa incrível proliferação de impressos. 

Colocar almanaques (que marcaram gerações de leitores nos séculos XIX e XX) ao alcance de mãos e olhos do terceiro milênio significa instruir na contemplação do passado e na verificação de um processo evolutivo. A Exposição, estruturada em painéis exibindo capas e páginas de almanaques, bem como reproduções na íntegra, não deixa ninguém indiferente. 

(...)

Leia o restante no link abaixo:
JORNAL DIÁRIO DE CUIABÁ

Nenhum comentário:

Postar um comentário